quinta-feira, 22 de março de 2012

Para que ser escoteiro ou escotista?

Como muitos sabem entrei cedo no escotismo, atraído pelo ambiente de aventura e lealdade, na época nosso grupo era patrocinado e com um pouco de empenho participávamos de grandes atividades. Eu via meus chefes preocupados conosco, nunca se envolvendo em coisas erradas, até os que fumavam (coisa comum na época) não faziam na nossa frente, lembro do meu chefe sênior que só descobri q fumava depois que virei pioneiro.
Nesta época, de pioneiro, prometi retribuir todo o esforço dos meus chefes e fazer o mesmo para os outros.
Começava ai o inicio das indagações. Logo no primeiro ano como pioneiro fui trabalhar como assistente de Chefe escoteiro, e como as “regras” proibiam, não fui nomeado Assistente Distrital escoteiro, por causa da idade, mas desempenhava todo o papel. Mas via ser nomeadas pessoas com pouca ou nenhuma preparação assumindo cargos. Chegou ao ponto de ser indicado por todos os grupos do Distrito para a função e negado pela Direção regional dizendo que não era a política deles.
Anos depois descobri o que acontecia, um grupo de pessoas com uma carga de problemas tremenda, com vários pontos deficientes em suas fichas tentando se manter no poder. Com o advento das eleições, vários mostraram por qual motivo se mantinham “escoteiros”.
A utopia do escotismo puro caía por terra, eram “chefes” que queriam ser políticos, hoje vemos muitos, se pensar bem não é errado porque precisamos de representação nestes lugares, mas como ser escotista, diretor regional e ser político?  Para que eles se mantém no escotismo?
Vemos ainda uma pequena casta se mantendo ligadas ao escotismo para manter seu “sub-campo” eleitoral, fazendo politicagem para se manter no poder, para poder encher seus sites e blogs. Pessoas que multiplicam informações mentirosas, caluniosas e nada honradas, sem dizer, nada escoteiras, de que são donos do escotismo intergaláctico, que a sua Lei derrogada, revogada, inconstitucional vale um “Cibazol”. Se mostra tão verdadeiros como uma nota de 3 reais.
Mesmo estando em situação de ajudar a parte desprovida a fazer escotismo e não ajudam e continuam atividades escoteiras caras, diretores viajando o mundo em alto estilo, enquanto os “carentes” assistem em seus quintais atividades mundiais sem poder participar.
Mas temos chefes escoteiros de verdade que desempenham seus papeis como nossos representantes, temos também representantes que nem são escoteiros nos apoiando, pensando em política sim, mas não misturando as estações.
Nos últimos tempos vemos claramente quem é quem. Políticos que dizem defender o escotismo só defendendo sua associação. Será que defendem esperando os retornos financeiros do próximo Jamboree, ou a eleição do ano que vem?
E graças ao bom Deus temos políticos que defendem nossa causa, faço ao leitor um desafio. Pesquise o nome escoteiro no site da câmara federal, ou estadual ou até mesmo municipal, descubra qual representante coloca leis e apoio o Escotismo ou apenas apoiam associação A ou B. Se você constatar algo com o nome de associação desconfie, há algo de errado.
Agora desafio aqueles que se julgam certos em estar em vida dupla, escotismo e política.
Se pergunte e me responda político de vida dupla. Se pergunte e me responda chefe de vida dupla?
Seus atos são escoteiros?